Mosteiro da Cartuja

O Mosteiro da Cartuja é uma das obras mais representativas do barroco espanhol. A carregada decoração de suas capelas, dependências e a grande igreja que abriga fazem desse mosteiro uma das visitas indispensáveis de Granada

Localizado a pouco mais de dois quilômetros do centro de Granada, o Mosteiro Real de Nossa Senhora da Assunção da Cartuja (Real Monasterio de Nuestra Señora de la Asunción de la Cartuja) é um grande complexo religioso que abrigou durante três séculos os monges cartujos (também conhecidos como cartuxos). Este mosteiro é uma das obras mais importantes do barroco espanhol

A sobriedade da fachada exterior e do portal principal contrastam com a cuidadosa decoração interior, conseguida a partir de pinturas, afrescos, esculturas, abóbadas, madeiras policromáticas e outras tantas técnicas artísticas.

O Mosteiro da Cartuja começou a ser construído no século XVI e as obras não terminaram até dois séculos mais tarde, por isso este complexo monástico combina os estilos plateresco (estilo renascentista tipicamente espanhol), renascentista, gótico tardio e barroco.

História

No início do século XVI, o nobre cristão Don Gonzalo Fernández de Córdoba, mais conhecido como o Grande Capitão, cedeu parte de seus terrenos para a construção de um mosteiro. Embora o nobre finalmente tenha desconsiderado o projeto, o Mosteiro da Cartuja começou a ser erguido em 1506, no local onde se localizava um antigo carmen árabe (moradia típica da região de Granada, caracterizada pela presença de um grande jardim).

Os monges cartujos habitaram este complexo religioso até que foram expulsos em função do fisco do século XIX. Os cartujos estavam submetidos a um voto de silêncio e pouco saíam do mosteiro, passando a maior parte do dia orando, meditando ou estudando. 

Em 1932 o Mosteiro da Cartuja foi declarado na Espanha Monumento Histórico-Artístico Nacional.

Salas do mosteiro

  • Pátio: o claustro é o pátio de estilo árabe que preside o centro do mosteiro, decorado com laranjeiras e uma fonte central. 
  • Refeitório: é a sala onde comiam os monges e que hoje abriga uma importante coleção de pinturas do cartujo Juan Sánchez Cotán. 
  • Sala capitular: é a sala mais antiga do mosteiro e que se destaca por sua abóbada em cruzaria. 
  • Igreja da Assunção: é a parte mais impressionante do mosteiro. Foi terminada no século XVII, quando foi colocado o grande retábulo que separa a igreja em duas partes. No altar maior há uma escultura de Nossa Senhora da Assunção, de autoria de José de Mora. 
  • A capela: é uma das zonas mais decoradas do mosteiro. Foi construída por Francisco Hurtado e abriga afrescos do pintor Antonio Palomino. 
  • A sacristia: esta sala chama a atenção pelas influências árabes na decoração da cúpula, adornada com peças de gesso e detalhes talhados em madeira. 

Uma visita indispensável

Ainda que o Mosteiro da Cartuja não seja um dos monumentos mais famosos de Granada, consideramos que o patrimônio artístico que abriga o converte em um dos lugares mais bonitos da cidade

Horário

De segunda a sexta e domingos: das 10:00 às 20:00 horas.
Sábados: das 10:00 às 13:00 e das 15:00 às 20:00 horas.

Preço

Entrada geral: 5€ (inclui audioguia)
Estudantes acreditados: 3,50€
Menores de 12 anos: entrada gratuita

Transporte

Ônibus: linhas 8, U1, U2 e U3.