Alhambra

Visitar a Alhambra de Granada é algo indispensável para conhecer a história da cidade e seu importante legado nasrida. Em 2017 mais de 2,7 milhões de turistas de todo o mundo visitaram esta joia arquitetônica única no mundo

A Alhambra tem algo especial. Sua localização, dimensões, arquitetura, história... Milhões de turistas visitam todos os anos esta cidade para entender o encanto desta construção. Sua localização estratégica na colina al-Sabika, em frente ao bairro do Albaicín e com a Sierra Nevada ao fundo, faz com que a Alhambra faça parte da paisagem e da história de Granada

Este local foi pensando para demonstrar à cidade o poder da dinastia nasrida e para que seu principal monumento pudesse ser contemplado de praticamente todos os pontos de Granada. A Alhambra, cujo nome significa "castelo vermelho", é considerada a oitava maravilha do mundo e constitui uma cidadela, palácio e fortaleza árabe. Não por acaso, este é o monumento mais visitado da Espanha. 

História da Alhambra

Depois da dissolução do Califado de Córdoba no ano 1031, o território ocupado pelos mulçumanos foi dividido em reinos e taifas, que finalmente sucumbiram às tropas cristãs no século XII.

Durante 200 anos o reino de Granada foi o único vestígio do poder mulçumano na Península Ibérica. O fundador da dinastia nasrida, Al-Ahmar, ordenou a construção da Alhambra e transferiu sua residência real do Albaicín a esse novo local. Foi então que Granada entrou em seu período de maior esplendor artístico

A muralha e o aqueduto da Alhambra são a parte mais antiga da cidade. Mais tarde foram construídas a Alcazaba e as torres principais. Durante o século XIV, foram construídos três palácios nasridas: o de Mexuar, o de Comares e o dos Leões. 

Depois da Reconquista de 1492, os Reis Católicos realizaram várias reformas e construíram o convento de São Francisco. Mais tarde, seu neto, o imperador Carlos V, ordenou construir um palácio que levava seu nome. 

Entre os séculos XVIII e XIX a Alhambra sofreu um período de abandono que se estendeu por quase cem anos até que as tropas francesas de Napoleão ocuparam parte do palácio e estiveram a ponto de destrui-lo. 

Em 1870 a Alhambra passou finalmente a ser propriedade do Estado e foi declarada Monumento Nacional. 

O que ver: partes da Alhambra

A cidade cortesã da Alhambra é formada por várias zonas que cumpriam diferentes funções:

A Alcazaba 

É a parte mais antiga e se localiza na zona mais alta da colina. Sua função era meramente militar, ainda que se acredite que haja podido servir de residência real em algum momento. A Alcazaba é uma grande fortaleza protegida por muralhas onde se localizam as quatro torres principais da Alhambra. Daí é possível apreciar uma vista privilegiada de toda a cidade, do Albaicín e da Sierra Nevada.

Na Alcazaba encontra-se a Praça das Armas, que atualmente conserva a fundação de casas árabes que ofereciam serviços aos militares, assim como algumas masmorras e uma bonita área com um jardim. 

Palácios Nasridas

Cada um dos três palácios está associado a uma época e a um rei nasrida:

  • Palácio de Mexuar: é o mais antigo dos três e, portanto, o que está em pior estado de conservação. O rei Ismail I ordenou que fosse construído e o utilizou para reuniões políticas e para julgamentos. A sala principal está cheia de azulejos e gelosias originais de grande valor. 
  • Palácio de Comares ou Divã: este palácio foi construído ao redor do pátio dos Arrayanes. Seu principal depósito de água é uma das imagens mais famosas da Alhambra. No total, três monarcas estiveram envolvidos em sua construção. O Comares abriga o famoso Salão do Trono, dedicado às questões políticas, e salas onde eram celebradas festas. 
  • Palácio de los Leones ou Harém: trata-se da zona privada do sultão Mohamed V, que residia aí com sua família e seu harém. Aí encontra-se o famoso Pátio de los Leones, a joia indiscutível da Alhambra. 

El Partal

Foi a primeira residência dos reis nasridas que se instalaram na Alhambra. Sua construção data do século XIII e está formada por um palácio com um pórtico de cinco arcos, a Torre das Damas e um grande lago ao ar livre. Também é possível ver algumas pequenas casas árabes que foram construídas anos depois.

Palácio de Generalife

Era a residência de férias e descanso do sultão e sua família. Esta residência se encontra a uma pequena distância da Alhambra e destaca-se por seus jardins, que eram pomares em tempos árabes. A parte mais chamativa de Generalife é seu pátio principal, que representa o conceito mulçumano do paraíso. 

Do Palácio de Generalife é possível ver toda a Alhambra e o vale do Darro.

Palácio de Carlos V

O Palácio de Carlos V é uma das obras mais destacadas do Renascimento na Espanha. O palácio se destaca por sua fachada principal e seu pátio circular porticado com colunas seguindo o estilo romano. O imperador Carlos V decidiu construir este palácio perto da Alhambra para seu próprio lazer e de sua família. 

Ainda que sua construção tenha começado em 1527, devido à falta de recursos e revoltas internas em Granada, o Palácio de Carlos V não terminou de ser construído até o século XX. Atualmente é sede do Museu de Belas Artes e do Museu da Alhambra

Como chegar à Alhambra?

O monumento mais importante de Granada é bastante acessível por todos os meios, inclusive caminhando. Estas são as formas de chegar à Alhambra a partir do centro de Granada:

  • Ônibus: as linhas C30 e C32, com frequência de mais ou menos oito minutos entre um ônibus e outro, conectam o centro da cidade com a parada Alhambra-Generalife 2.
  • Táxi: o preço de um trajeto saindo do centro de Granada é de seis euros, aproximadamente. 
  • Caminhando: mesmo que seja um caminho inclinado, vale a pena caminhar da Praça Nueva pela Cuesta Gomérez (uma inclinação) até o bosque que circunda a Alhambra. Você não vai demorar mais de meia hora fazendo este trajeto e há muitas trilhas que o levarão diretamente ao monumento. 

Visita guiada 

Se você quiser desfrutar do símbolo de Granada e conhecer todos os seus detalhes, poderá reservar nossa visita guiada à Alhambra e Palácios Nasridas. O número de visitantes ao monumento é limitado, por isso recomendamos que a reserva seja feita com a máxima antecedência possível

E se você deseja levar uma recordação completa de Granada, recomendamos reservar a visita guiada pela Alhambra, Albaicín e Sacromonte

Horário

Visita diurna:
De 1º de abril a 14 de outubro: todos os dias das 8:30 às 20:00 horas.
De 15 de outubro a 31 de março: todos os dias das 8:30 às 18:00 horas.
Visita noturna:
De 1º de abril a 14 de outubro: de terças a sábados das 22:00 às 23:30 horas.
De 15 de outubro a 31 de março: sextas e sábados das 21:30 às 22:00 horas.

Preço

Entrada geral: 14 euros.
Crianças entre 12 e 15 anos: 8 euros.
Maiores de 65 anos: 9 euros.
Menores de 12 anos: entrada gratuita.

Visita guiada pela Alhambra e Palácios Nasridas €55

Transporte

Ônibus: linhas C30 e C32.